Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

29
Jan10

Sabedoria

maripossa

Nos dias em que nada vale a pena,
E em que as árvores amigas
São iguais e estão vistas,
A vida é tão parada e tão serena
Que afinal já não há que contar mais,
E prevejo, com olhos anormais,
As coisas imprevistas...
Nos dias em que são cinzentos os meus céus
— O de dentro e o de fora —
E é vaga esta noção de um velho Deus,
Que me não manda embora
Deste espectáculo estafado
Em que de cor sei dizer
O que me foi ensaiado
E o que todos vão fazer,
Tenho inveja dos homens convencidos
Que nem sequer sonharam
Que poderia haver paraísos perdidos,
Ainda não decifraram
Esta charada em que andam envolvidos,
E pensam que, vivendo, triunfaram
Da Vida em que os que sonham são vencidos.

 

Francisco Bugalho

27
Jan10

Aniversário do Blog

maripossa

Ontem foi dia de comemoração no blog "saborlatino"  foi o primeiro, hoje será no meu blog "maripossa" que de certo modo onde sou identificada. Hoje este blog faz três anos que foi criado, nele tenho escrito emoções, poesias e algumas coisas de opinião.Mas nele tenho recebido afecto e muita amizade, tem vindo por aqui muitos amigos, uns permanecem e gosto de os ver, outros voaram para outras paragens, mas espero que se sintam felizes em sua casa, não tenho inveja de ninguém,só e simplesmente desejo o melhor do mundo.E como não poderia passar este dia sem dizer nada, tenho agradecer ao amigo Filipe, foi ele que me convenceu a fazer os blogs, depois este espaço cresceu e assim tem sido.Ultimamente não tenho publicado todos os dias, porque tenho mais que um, e tendo outras coisas para fazer me tira um pouco de tempo.Aos amigos agradeço os comentários,já tive alguns que me deixam sensibilizada, de poetas com livros publicados e aqui vieram agradecer,por dar a conhecer as suas palavras! Tanta coisa, que escrevi e li que gostei, mas também tive que fechar aos comentários, para acautelar a tolera de alguns, mas tudo é possível hoje em dia.Aos amigos que aqui deixam os comentários, obrigados pela amizade, sem eles não seria possível tudo isto.Agora gostaria de escrever o meu primeiro post:

 

Foi um Sábado dia 27 01/2007 e com estas palavras!

Borboletas

As Borboletas gostam de rosas, pois elas tem o seu encanto, sendo elas vermelhas são a cor da paixão!..
 

Como podem ver a minha razão de ter o nome" maripossa"

 

 

22
Jan10

Encostei-me

maripossa

Encostei-me para trás na cadeira de convés e fechei os olhos,
E o meu destino apareceu-me na alma como um precipício.
A minha vida passada misturou-se com a futura,
E houve no meio um ruído do salão de fumo,
Onde, aos meus ouvidos, acabara a partida de xadrez.

Ah, balouçado
Na sensação das ondas,
Ah, embalado
Na ideia tão confortável de hoje ainda não ser amanhã,
De pelo menos neste momento não ter responsabilidades nenhumas,
De não ter personalidade propriamente, mas sentir-me ali,
Em cima da cadeira como um livro que a sueca ali deixasse.

Ah, afundado
Num torpor da imaginação, sem dúvida um pouco sono,
Irrequieto tão sossegadamente,
Tão análogo de repente à criança que fui outrora
Quando brincava na quinta e não sabia álgebra,
Nem as outras álgebras com x e és de sentimento.

Ah, todo eu anseio
Por esse momento sem importância nenhuma
Na minha vida,
Ah, todo eu anseio por esse momento, como por outros análogos —
Aqueles momentos em que não tive importância nenhuma,
Aqueles em que compreendi todo o vácuo da existência sem inteligência para o
compreender
E havia luar e mar e a solidão, ó Álvaro.

 

Álvaro de Campos

15
Jan10

Rio da Vida

maripossa

Deixa que o rio  leve o sabor do vento e te encontre nas margens dos teus desejos. Na passagem colhe as flores e os lírios que abundam pela berma. O rio te corre no pensamento, e no instante sentes o cantar da água, quando ele bata na pedra polida pela idade. Te acerca dele e fala… como se fosse alguém que escuta o pensamento. Mergulha teus pés cansados da estrada da vida, e pensa que estás ali esperando por o veres partir, e a água que passou jamais passa no mesmo lugar. Goza o momento que tiveste, e desfruta do dia e da hora, em que ele passou por ti a correr, e levou os teus pensamentos juntos.

 

Lisa 15/01/2009

 

11
Jan10

Pastor do Monte, Tão Longe de Mim

maripossa

Pastor do monte, tão longe de mim com as tuas ovelhas
Que felicidade é essa que pareces ter — a tua ou a minha?
A paz que sinto quando te vejo, pertence-me, ou pertence-te?
Não, nem a ti nem a mim, pastor.
Pertence só à felicidade e à paz.
Nem tu a tens, porque não sabes que a tens.
Nem eu a tenho, porque sei que a tenho.
Ela é ela só, e cai sobre nós como o sol,
Que te bate nas costas e te aquece, e tu pensas
noutra causa indiferentemente,
E me bate na cara e me ofusca. e eu só penso no sol.

 

Alberto Caeiro

08
Jan10

Amizade

maripossa

A força da amizade vence as diferenças obstáculos. Diferença de raça e relegião,será como um pequeno barco no meio do mar e remar sempre para o mesmo lado, mesmo perante ondas enormes, para tentar chegar a bom porto assim é amizade.
É como uma flor bela que nasce no meio das pedras, olhamos para ela, nos apetece colher! Mas temos pena, ela está no sítio onde nasceu, e se calhar lá morrerá, mas todos os dias lá passamos; olhamos para ela e continua bonita,por ver que nos preocupamos com ela,assim é amizade.
A amizade,se torna igual aquele livro que mesmo velhinho o temos a cabeceira da cama,e damos uma vista de olhos, nos dias que estamos tristes, como que um alivar de dores e saudades de alguém,que pode ser um familiar um amigo.
Quantas vezes vem a memória o colega o amiguinho da escola,que nos riscava a bata,nos amorratava o caderno,sentimos um vazio de um instante.Estas são as memórias da amizade e do amigo,daquela que faziamos as casinhas,custurava-mos as roupas de boneca...aí como é bom amizade,livre espontânia amiga desinteresada,esta é a amizade que cultivo e gosto de cultivar no meu jardim,que se chama coração.
Para todos os amigos deste blog,ou os que o visitam,amizade e bom fim semana

 

Lisa

(foto glimboo.com)

03
Jan10

A Minha Casa

maripossa

A nossa casa é como um pequeno ninho onde me acolho, e onde o corpo se refugia em mistério e amor.Ela tem o quê do silêncio que em mim habita nas horas, assim é a minha casa.
É onde mora as saudades, as lembranças os afectos, tristezas e alegrias.
A minha casa é como os troncos da velha ávore,onde debaixo dela me deito em noites de verão. Mas feita em quatro paredes é a minha casa ela é em noites frias como um floco de neve e quando olho pela janela é como meu ser.Em dias de inverno tem esconderijos, sentimentos nela contidos como o suor do rosto, e das horas de paixão quem em muitos momentos contive e vivi.
A nossa casa é o refugio do momento, onde olhar se fundo sempre que nela entramos.
É onde sentimos  os sons da alegria, correria, quando se juntam as emoções e as virtudes, e onde caminho lado a lado quando encontro o meu ser, e sinto o seu amor.

 

 Lisa

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D