Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

13
Out14

Voltei

maripossa

Sei que muitos amigos já daqui abalaram,se calhar para outras paragens. Mas como dizem,filho de bom pai a casa torna,é isso que estou a fazer...voltei,tentarei ficar.

Também verifico que muito mudou por aqui nos blogs,outro grafismo e novas técnicas,hora eucomo gosto de evoloir e nunca ficar presa ao passado aqui estou.Sei que hoje em dia darão pouco apresso a poesia,mas eu gosto muito como de música e fotografia.Vamos para o inverno,menos tempo para andar fora de casa,assim vimos por aqui e contamos ou dizemos o que nos vai na alma.

Podem crer que vim com vontade,e umas folhas de outono ficam bem por cá

Folhas de Outono.jpg

 

30
Jan09

Inveja é Vaidade?

maripossa

O que chamamos inveja, não é senão vaidade. Continuamente acusamos a injustiça da fortuna (sorte), e a consideramos ainda mais cega do que o amor, na repartição das felicidades. Desejamos o que os outros possuem, porque nos parece, que tudo o que os outros têm, nós o merecíamos melhor; por isso olhamos com desgosto para as cousas alheias, por nos parecer, que deviam ser nossas: que é isto senão vaidade? Não podemos ver luzimento em outrem, porque imaginamos, que só em nós é próprio: cuidamos, que a grandeza só em nós fica sendo natural, e nos mais violenta: o esplendor alheio passa no nosso conceito por desordem do acaso, e por miséria do tempo. Quem diria aos homens, que no mundo há outra cousa mais do que fortuna, e que nas honras há predestinação?

 

Matias Aires,

A foto foi oferta da chicailheu obrigada

30
Jan09

Se Penso, Existo

maripossa


Se penso, existo; se falo, existo para os outros, com os outros.
A necessidade é o lugar do encontro. Procuro os outros para me lembrar que existo. E existo, porque os outros me reconhecem como seu igual. Por isso, a minha vida é parte de outras vidas, como um sorriso é parte de uma alegria breve.
Breve é a vida e o seu rasto. A posteridade é apenas a memória acesa de uma vela efémera. Para que a memória não se apague, temos que nos dar uns aos outros, como elos de uma corrente ou pedras de uma catedral.
A necessidade de sobrevivência é o pão da fraternidade.
O futuro é uma construção colectiva.

António Arnaut
02
Jan09

Novo Ano Novas Palavras

maripossa

Aqui estamos no Novo Ano ! Muito ficou por fazer e por dar, para uns ele foi de grande farra, para outros de alguma tristeza, por falta de saúde de emprego, e por falta de atenção e carinho.Mas viva o novo ano e o que ele nos irá dar, esperemos que coisas boas, mais paciência para o que vemos no dia a dia, mais tolerância e muita paz de tudo que bem precisamos.

Algum dinamismo para enfrentar as adversidades da altura, tentar unir e partilhar uns com os outros os desafios que nos aparecem no dia a dia, muita saúde para conseguir viver e desfrutar os amigos e família, bater o pé se necessário por os nossos direitos, para sermos um povo de corpo inteiro e não pela metade, assim é o primeiro passo para seguir o caminho, que tantas vezes nos prega partidas.

 

Já agora bom fim de semana neste começar de ano de 2009. Lisa

 

 

 

 

06
Out08

Atire a primeira flor

maripossa

Quando tudo parecer caminhar errado, seja você a tentar o primeiro passo certo;

Se tudo parecer escuro, se nada puder ser visto, acenda você a primeira luz,
traga para a treva, você primeiro, a pequena lâmpada;

Quando todos estiverem chorando,  tente você o primeiro sorriso;
talvez não na forma de lábios sorridentes, mas na de um coração que compreenda, de braços que confortem;

Se a vida inteira for um imenso não, não pare você na busca do primeiro
sim, ao qual tudo de positivo deverá seguir-se;

Quando ninguém souber coisa alguma, e você  souber um pouquinho,
seja o primeiro a ensinar,  começando por aprender você mesmo, corrigindo-se a si mesmo;

Quando alguém estiver angustiado à procura, consulte  bem o que se passa,
talvez seja em busca de você mesmo que este seu irmão esteja;

Daí, portanto, o seu deve ser o primeiro  a aparecer,  o primeiro a mostrar-se,
primeiro que pode ser o único e,  mais sério ainda, talvez o último;

Quando a terra estiver seca,  que sua mão seja a primeira a regá-la;
quando a flor se sufocar na urze e no espinho,
que sua mão seja  a primeira a separar o joio, a arrancar a praga,
a afagar a pétala, a acariciar a flor;

Se a porta estiver fechada, de você venha a primeira chave;

Se o vento sopra frio, que o calor de sua lareira seja a  primeira proteção
e primeiro abrigo.

Se o pão for apenas massa e  não estiver cozido,
seja você o primeiro forno para transformá-lo em alimento.

Não atire a primeira pedra em quem erra.
De acusadores o mundo está cheio; nem, por outro lado, aplauda o erro;
dentro em pouco, a ovação será ensurdecedora;

Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu; 
sua atenção primeiro para  aquele que foi esquecido; 
Seja você o primeiro para aquele que não tem ninguém;

Quando tudo for espinho, atire a primeira flor;seja o primeiro a mostrar que há  caminho de volta, compreendendo que o perdão regenera,
que a  compreensão edifica,  que o auxílio possibilita, que o entendimento reconstrói.

Atire você, quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor. 
 
Glácia Daibert

29
Jul08

Tempos Modernos!!!

maripossa


Neste momento,do que mais gostaria era,que deixassem a violência que se assiste todos os dias,se mata sem razão nem nexo. Ontem por aqui um fulano por rixa de transito dizem,atirou noutro a queima roupa. O respeito pelo semelhante passou ao lado,a miséria é constante,jovens sem futuro casais sem emprego! mas vejo que não será só no nosso país.O mundo está assistir ao desequilíbrio da humanidade,uns com muito, outros com tão pouco.Até custa ver certas coisas,mundo avarento só dinheiro.
Como se pode viver e ver,tanto disparate a solta,se mata por qualquer coisa.Logo de seguida são postos em liberdade,se passa a mão pela cabeça, é vê-los logo de seguida a fazer o mesmo. Se não vejamos nos jornais e meios de comunicação,se não é assim. Fico triste por ver isto todos os dias e em todas as horas,só é cego quem não quer ver,temos de estar alerta com as nossas crianças,sempre a desconfiar no parceiro do lado,no vizinho,etc etc.
Para alegrar a vida nada melhor que um cé azul,com esperança de um mundo melhor
26
Jun08

Igualmente

maripossa



Eu vi!
Uma lágrima correndo
Pela face de algum solitário
Eu vi essa lágrima mais de mil vezes
Correndo por milhões de rostos
E essas pessoas sentavam-se umas contra as outras
Não atreviam simultaneamente olhar-se
Cara a cara
Olhos nos olhos
Ficavam bisbilhotando-se
Suspirando uma emoção contida
Que negavam assumir
E praguejavam interiormente uns aos outros
Reclamando da frieza de seus semelhantes,
E circulavam paralelos
Conhecendo-se apenas por um rastro no chão
Eu vi!
Juro que vi!
Mas não tive forças para contar
Ao cara de dock sider o que
Eu havia visto.
04
Jun08

Palavras

maripossa

Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que fizemos ontem e hoje. Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro. Cada manhã traz uma benção escondida; uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar.
Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder.
Este milagre está nos detalhes do cotidiano; é preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos.
Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança.

 


Paulo Coelho

 

 

 

22
Mai08

Falar de Amor

maripossa



Hoje vou falar de Amor! se calhar do meu amor aquele que não tem hora não tem dia,mas sim a luta diária do trabalho do companheirismo, luta de contar as fraquezas e as incertezas da vida.
Mas sobretudo falar de Amor! Muito amor,aquele que resiste ao tempo as intempéries a tempestades das ocasiões,do compre e pague depois,sim porque este é falso,não tem sustentação é muito superficial;gosto do Amor que dá e recebe sem olhar, a coisas aos dias e as horas,tem de estar presente na luta do dia a dia,e quando cansada das lides tem um abraço mas aquele do tamanho que deve ter o amor para acolher e relaxar,do tempo gasto das coisas reais que tem o amor,verdade carinho e ternura,este é o Amor que gosto... O meu.
31
Mar08

A Janela

maripossa

Aprendi que se aprende errando. Que crescer não significa fazer aniversário. Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem. Que trabalhar não significa só ganhar dinheiro. Que amigos a gente conquista mostrando o que somos. Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim. Que a maldade se esconde atrás de uma bela face. Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela. Que quando penso saber de tudo, ainda não aprendi nada. Que a natureza é a coisa mais bela na vida. Que amar significa se dar por inteiro.
desconhecido

A paixão é uma centelha transformada em fogo;o amor é uma chama continuamente alimentada.
A paixão é fácil,mas esvazia;o amor é difícil,mas sacia.


Valério Albisetti


Rabiscado por Agulheta

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D