Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Memórias

17.09.08, maripossa

No mês de Setembro, sempre nos trás recordações, do verão que passou a pouco, das saídas de noite, o convívio com os amigos. Mas gosto muito do tempo que agora se atravessa um pequeno calor durante o dia, e o aconchego da noite, com algum frio.

Hoje me lembrei da minha avó, era o começo da escola, como tal a chegada a casa de tarde e a espera do lanche; e que bom que ele era, uma tigela de café, de cafeteira onde o mesmo era feito e se tinha de deixar assentar o pó, o mesmo não fazia mal, nem a nós que éramos crianças,e a acompanhar, aquele pãozinho com manteiga de raro sabor. A casa era grande e de muito espaço, com quintal grande árvores, com grande pombal, pois o meu tio era columbófilo, era neste quintal onde o mesmo dava saída das pombas para irem para longe,a concurso e de lá via a hora da  chegada das mesmas. Neste quintal existia fruta diversa e alguma vinha, era bom ver o tio por esta altura, a preparar uma grande dorna, para deitar lá para dentro os cachos das uvas americanas, para pisar as mesmas para fazer um pouco de vinho. Que cheirinho que dava a vinho doce! Ele era uma pessoa calma e serena, que gostava da lida do quintal e fazia por ter, bons frutos da época para todos nós, só ficava muito chateado quando eu ia ao pombal e abria a porta as pombas para elas voar, pois quando ele me ralhava, eu dizia que não gostava de as ver presas, me lembro bem, destas palavras como se fosse hoje.

Lisa

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.