Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Noite

18.02.09, maripossa

É de noite que as palavras se soltam,

sem destinos nem contornos,

vagueando plurais em seus sentidos,

omitindo-se e revelando-se.É de noite que me solto no sentir,

 

quando no adormecido silêncio as palavras se fantasiam e libertam.

É de noite que acordo o poema na sonolência do verbo,na indigência dos significados,

na suavidade dos desvarios consumados.É de noite, na noite de mim,que diariamente me exponho nos silêncios libertados.

 Helena Monteiro

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.