Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Frase

04.07.08, maripossa
id="BLOGGER_PHOTO_ID_5219215961258652098" />


Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída

Mahatma Gandhi

Parar e Pensar

04.07.08, maripossa

As vezes fico a pensar. Como se pode morrer um pouco, quem não ama, quem não lê, quem não é livre de voar, pois pode morrer aos poucos.
Sentado a espera do que vem, se transformar por hábitos e não sentir o prazer da descoberta, não arrisca em ser um pouco ousado da mesma! Das cores que descobre ,uma maneira de vestir, da cor do seu cabelo! Morre lentamente, quem nunca virou a vida não deu um murro na mesa, quem nunca teve um sonho e seguir atrás dele, passa os dias a se queixar de tudo e de todos.
Pois devemos ser capazes de seguir em frente, passar por cima das pedras e obstáculos, saltar barreiras da desordem e dos mal agradecidos, correr atrás das nossas ideias esperanças amores e algumas desilusões, pois tudo faz parte do nosso crescer.
Eu adoro os meus cabelos... Compridos e como gosto livres! Já muitas pessoas me disseram, que lindos fortes, mas como consegue tê-los assim? Aí respondo gosto! Pois como sou livre e senhora do meu nariz os tenho como gosto, se me apetece dar um beijo mais doce e terno na rua o dou, podem olhar o meu amor agradece e gosta.
Pois por tudo isto é uma questão de não morrer esperando! Mas sim fazer o que mais gostamos, sempre ir correndo ao encontro dos sonhos, eles são pedaços de nós, da esperança e de liberdade de crescer, por isso nada vale se queixar se chove se faz frio ou sol, o dia está aí para o viver da melhor maneira e enfrentar esta lentidão da espera. Como adoro receber e dar flores, e como tal... Como sou assim ficam uma flor,e um sorriso, para os amigos deste espaço,e sejam felizes a vossa maneira

 

Lisa
 

Ingrid Betancourt

03.07.08, maripossa

Aqui se vê o afecto e o amor de uma mãe,de todo o seu sofrimento ao longo destes anos.As palavras serão poucas para falar deste caso,a esperança venceu sobre o ódio,o amor venceu a liberdade desta mulher a sua perseverança,o acreditar,que existe algo e muita força para lutar por um ideal,onde a coragem foi mais forte e venceu o medo,a injustiça dos homens. Nunca desmereceu,enfrentou a dor a tortura a doença,sempre na esperança de um dia encontrar a família os seu filhos e sua mãe,que foi uma verdadeira mãe coragem,para enfrentar esta dor da perda da filha.Finalmente Ingrid Betancourt,está em casa junto dos seus,com um final feliz e sem derramar sangue conseguiram tirar aos rebeldes guerrilheiros estes réfens, a outros que estejam nesta condição,a força de lutar nunca deve ficar esquecida,pois atrás de uma montanha está sempre outra com uma luz grande! Que se chama Liberdade e esperança

Quintal

02.07.08, maripossa

De Lúcia -Lima, algumas malvas e vesicantes ortigas é,com modéstia, feita manhã doce. O poço está seco. As macieiras nunca deram maçãs que prestassem. O quintal é estreito e murado. Mas nada disto importa, quando se tem a fantasia pródiga.

O céu alto e sem nuvens basta para o muro ruir. Pois que o sol fulvo queima, as maçãs crescem, carnudas e loiras. O estranho seria, então que o poço não transbordasse, de súbito fecundante.

É sempre assim, comigo, desde ignorante infância. Com sabedoria, veio-me, na aparência contraditoriamente, o conhecimento de por outro lado e não ser.

E da conciliação do constante antagonismo me florescem, a par, a inquietação e a paz.

 

Armindo Rodrigues

 

Floresta

01.07.08, maripossa
id="BLOGGER_PHOTO_ID_5218070851126782642" />
Assim não, é destruir

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5218070343077827954" />
É bonito de ver o verde


Entramos na época de incêndios dizem! Mas será que há épocas, tenho dúvidas pois muitas vezes arde no inverno! Só basta um pouco de sol, para começar a arder. Todos os anos se gasta milhares em meios e mais meios, mas continuo a ouvir corpos de bombeiros dizerem, que lhe falta algo, fardamento, viaturas condignas para combater os mesmos.
Esta coisa de épocas” nunca aceitei muito, parece a época da caça, da pesca, ou balnear?
Se calhar, dar meios aos Bombeiros, fazer um levantamento nacional, ver quais as necessidades de cada corporação se realmente tem, faltam dos mesmos meios, os que tem mais área florestal…assim acho que seria útil mas não.
Nos anos oitenta, havia alguns fogos e grandes por vezes, mas o amor a camisola era muita, ninguém podia ouvir as sirenes tocar, aí era tudo pela causa, hoje já nada é assim os interesses que entretanto se criaram foram muitos, é tudo a dinheiro, senão é ver se fazem limpeza como devem, cortam a madeira e ficam os ramos nos montes, se vai acumulando manta morta, depois vem tempo de sol e quente lhe chegam o lume, é mais rápido e barato! Basta um fósforo, pois ainda não vi, incendiários a ficarem presos. Deviam obrigar a limpar os donos das matas e até o Estado a fazer a limpeza. Eu sei que pode haver excepções, que a mesma possa arder derivado a causas naturais, mas será muito pouco, o resto sabemos todos como é
Gosto muito da Floresta, bem tratada e devemos cuidar dela, para que todos possa-mos viver e respirar como se deve, precaver a sua destruição olhar pelos seres que nela habitam, para que um dia tudo não passe de um planeta morto e sem vida.
Seria bom deixar para os filhos e netos, a beleza que é a floresta

Pág. 3/3