Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

23
Fev07

Memórias de Zeca Afonso

maripossa

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos(ZECA AFONSO) nasceu em Aveiro, a 2 de Agosto de 1929, filho de um magistrado e duma professora primária.A infância reparte-se entre Aveiro Angola, Moçambique Belmonte e Coimbra devido as deslocações do pai

Em Coimbra, estudante do Liceu D. João lll, conhece o guitarrista António Portugal e começa a interessar-se pela música. Em fins da década de 40, já aluno de Ciências Histórico-Filosóficas da Faculdade de Letras de Coimbra, destaca-se à semelhança do irmão como cantor de Fados.

Faz o Serviço Militar em Mafra (entre 1953 e 1955) regressa África em 1964 da qual foi fundamental para a formação política, volta Portugal em 1967 e edita pela primeira vez um (lonplaying) com baladas .

Expulso do ensino por razões políticas, dedica-se mais á música e inicia as primeiras gravações com (cantares de andarilho) em 1968 no ano a seguir grava «Contos velhos Rumos Novos» e em 1970 publica«Tráz um Amigo Também»

Zeca Afonso, faz frente ao regime com suas canções de intervenção, e grava com Sérgio Godinho, Adriano Correia De Oliveira, Fausto  Luís Cília, e José Mário Branco entre outros.

Em 1982 em visita Moçambique. É-lhe diagnosticada uma doença incurável (esclerose lateral amiotrófico) pela qual vem a Falecer em 23 de Fevereiro de 1987 com 57 anos de idade.

Como eu lembro a balada (àguas das fontes calai ó Ribeira chorai que eu não volto a cantar) e a canção  do Menino do bairro Negro!  Negro Bairro Negro, Bairro negro.Onde não há pão não há sossego

Amigo

Maior que o pensamento

Por essa estrada amigo vem

Não percas tempo que o vento

È meu amigo também.......Lindo.....

 

 

Grândola vila morena, terra da fraternidade

O povo quem mais ordena dentro de ti ó Cidade.......Liberdade sempre

Esta canção seria a chave para Abril e democracia

 

Para ti Zeca Afonso que me habituei a ouvir as tuas canções, e que sempre que as ouço o meu corpo tem arrepios, de liberdade e fraternidade, e como todos os Portugueses que amam este cantinho só nosso sejamos capaz de lutar com todas as forças, para esta liberdade passar de pais para filhos e avôs para netos, pois as tuas lutas estão no coração dos que gostam deste país tem orgulho nos seus Cantores, Poetas e todos os seus filhos que sofreram as agruras da prisão, e da ditadura. Pois para ti dou onde estiveres uma salva de palmas pelo conserto que neste dia estás a dar a todos os Portugueses de bem

 

 

 

 

 

 

 

16 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D