Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Maripossa

Tudo que tem asas deve voar,por isso a borboleta selvagem o faz sem nunca olhar para onde.

Quintal

02.07.08, maripossa

De Lúcia -Lima, algumas malvas e vesicantes ortigas é,com modéstia, feita manhã doce. O poço está seco. As macieiras nunca deram maçãs que prestassem. O quintal é estreito e murado. Mas nada disto importa, quando se tem a fantasia pródiga.

O céu alto e sem nuvens basta para o muro ruir. Pois que o sol fulvo queima, as maçãs crescem, carnudas e loiras. O estranho seria, então que o poço não transbordasse, de súbito fecundante.

É sempre assim, comigo, desde ignorante infância. Com sabedoria, veio-me, na aparência contraditoriamente, o conhecimento de por outro lado e não ser.

E da conciliação do constante antagonismo me florescem, a par, a inquietação e a paz.

 

Armindo Rodrigues

 

15 comentários

Comentar post